Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Nem todas as gambiarras são ruins e que nem todas as luzes são perfeitas.


👉🏻👉🏻👉🏻👉🏻SERÁ???? 

Depois de algum tempo você aprende que nem todas as gambiarras são ruins e que nem todas as luzes são perfeitas. 

Sim, muita gente chega em nossas vidas feito promessa pronta de felicidade. A pessoa é agradável, inteligente, bem sucedida e linda, mas toda essa perfeição muitas vezes esconde um misto de insegurança e chatice! 

Outros chegam com remendos, nem sempre estão prontos para um relacionamento e carregam muitas dúvidas sobre a vida... mas são humildes, sabem ouvir, fazem sorrir, são divertidos justamente porque são humanos e não fazem a pose do “sei tudo”... Encantam! 

Tem estrada dentro dos seus olhos e o desejo se crescer junto com o parceiro. Eram gambiarra, mas aprenderam como consertar os próprios remendos. Perceberam que as suas cicatrizes não são motivo de constrangimento, pelo contrário, elas são fruto das vivências daqueles que aprenderam a enxergar a beleza da imperfeição. Antes de se afastar das gambiarras, veja se o remendo não é apenas falta de investimento. 

Existem muitas “embalagens reluzentes” que não sabem amar, enquanto outras surpreendem pelo conteúdo apesar da “embalagem” não impressionar na primeira impressão. 

Na terra do afeto nem tudo que reluz é ouro. 
Há muitas jóias preciosas negligenciadas por falta de um segundo olhar. 


*Lígia Guerra*


Quantas pessoas estão na sua vida porque você insiste?


Quantas pessoas estão na sua vida porque você insiste? Será que isso pode ser chamado de relacionamento, amizade ou irmandade? 

Você valoriza a companhia da pessoa, trata bem, respeita as suas escolhas por mais que nem sempre concorde, dá forças, empresta o colo e a grana no momento do aperto, enxuga lágrimas e faz festa com cada uma das suas conquistas, mas nunca recebe nada em troca? Cansa, né? Isso não é sinal de pequenez, é sinal que você acordou! 

Ninguém ama na mesma proporção, mas no mínimo precisa respeitar e nutrir a relação com interesse. Amor não combina com uso: “estou na sua vida enquanto eu tiver alguma vantagem.” Isso é exploração! 

Amor combina com: “estou na sua vida porque gosto e é importante que você more na minha “casa afetiva”. Tem dias em que não precisamos limpar somente as gavetas da casa, também precisamos reciclar as relações rasas. Supérfluo só ocupa lugar e não acrescenta nada, nem no guarda-roupa e nem na vida!  

Forçar a barra acaba com a possibilidade do vínculo e acima de tudo com a autoestima. Tome muito cuidado para não se quebrar para deixar os outros inteiros. 

 *Lígia Guerra*




Ser feliz vinte e quatro horas por dia virou uma “regra” tão atordoante quanto mentirosa. Isso causa mais frustração do que bem estar. Postar coisas bacanas faz parte das nossas redes. É bom celebrar a vida! Só não podemos confundir felicidade com euforia. 

Podemos estar totalmente plenos em profundo silêncio. Podemos estar completamente aniquilados intimamente e nos refugiando atrás de um sorriso. A foto registra o que desejamos expor... Mas quem realmente conta a história é o coração. 

*Lígia Guerra* 


Leia a matéria na íntegra: 

https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/a-propaganda-da-felicidade-constante-deixa-as-pessoas-frustradas-diz-psicologa-em-palestra-no-flipocos.ghtml

Ela era apenas um corpo nu para alguns homens... Até que um deles a enxergou além das fronteiras da carne. Então ela foi vista, ouvida, compreendida, abraçada, acarinhada, admirada e sentida como jamais havia acontecido. 

Surgiu “um alguém” que não se serviu do seu corpo feito um objeto, mas que bebeu da fonte da sua alma. Naquele dia ela sentiu a diferença entre ficar nua e sentir-se nua. Foi a sua essência feminina que se despiu. 

O mundo jamais tinha visto aquela mulher tão livre, bela, plena, leve e feliz! Seu coração abriu suas pétalas, sua pele fez música e seus lábios ficaram rosados de felicidade. 

Sabia-se amada por inteiro. 
Brotaram asas dos seus pés. 

 *Lígia Guerra*


terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Insanidades...


Quando tiver vergonha das suas “insanidades”, lembre-se que é melhor “pagar mico” sendo você mesma do que ser “diva” fingindo ser outra pessoa. Melhor passar por louca do que por boazinha. 

As autênticas são bem mais divertidas e felizes, fazem história!! 

*Lígia Guerra*

⏰ 1 Minuto com *Lígia Guerra*

🎬 Reflexão de hoje: 👉🏻👉🏻 “Grosseria na relação? Cuidado!!!” 

👉 Facebook -  LigiaGuerra.Psicanalista 

👉 Instagram 📷  @ligiaguerra.psicanalista 

👉 Site -  ligiaguerra.com.br

 


Ser forte o tempo todo cansa...


Ser forte o tempo todo cansa, você não acha? Quem sempre tenta dar conta de tudo, em algum momento, adoecerá. 

Tome muito cuidado com aquilo que lhe vendem! Muitos de nós compramos a ideia, desde pequenos, de que o mundo só gira com a nossa presença e quando nos damos conta estamos carregando pesos descomunais que sequer são nossos. 

Apoiar, orientar e dialogar são ferramentas importantes em qualquer relação. Carregar as pessoas nas costas é autoflagelação. Existe uma enorme diferença entre ajudar e arrebentar-se com os problemas alheios. 

Todos merecemos o espaço da fragilidade de vez em quando… Receber um colo, um afago, uma palavra de carinho e ter alguém ao nosso lado que tome a dianteira quando nos sentimos impotentes por alguma razão. 

Ser onipresente, além de machucar o corpo e a alma, deprime. Ser especial no mundo é muito importante, mas isso não significa que precisamos ser os detentores de todas as soluções e os porta vozes de todas as dores. 

Ser especial também inclui ser cuidado, amparado e amado. De nada adianta reclamar do cansaço e da sobrecarga que os outros lhe impõem, sem mudar de atitude, sem bancar limites. Para sermos cuidados é preciso abrir espaço para que as pessoas tenham a chance de nos acolher. 

Cuidado com a sua armadura, ela pode impedir que o afeto dos que lhe amam alcance o seu coração. 

*Lígia Guerra*


quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

⏰ 1 Minuto com *Lígia Guerra*

🎬 Reflexão de hoje 
 👉🏻👉🏻 Tome muito cuidado com a voz alheia. Escute-se! 

 👉 Facebook: LigiaGuerra.Psicanalista 
👉 Instagram📷 @ligiaguerra.psicanalista 
👉 Site: ligiaguerra.com.br


 

Minha redes sociais....

Você é a minha convidada, o meu convidado.
Participe dos meus canais. 

A sua presença é sempre muito bem vinda!!!



👉 Facebook: LigiaGuerra.Psicanalista 

👉 Instagram📷 @ligiaguerra.psicanalista 

👉 Site: ligiaguerra.com.br

Na dúvida, siga!!!



Demorar demais...


Demorar demais para compreender essa realidade, implica em desperdício de felicidade. Sabe o que é mais complicado? É que as pessoas infelizes adoecem, sabotam relações amorosas e acabam enxergando a alegria alheia com ressentimento. 

Pratique o exercício mais benéfico de todos: observe a sua vida com ternura, jamais com desdém ou com os olhos viciados do costume. Sabe-se lá o que você passará a enxergar. 

Uma coisa eu lhe garanto, o tédio cederá espaço para muitos ‘frios na barriga’! 

*Lígia Guerra*


⏰ 1 Minuto com *Lígia Guerra*

🎬 Reflexão de hoje 
👉🏻👉🏻 “As relações estão difíceis ou será que é você que está frágil?” 

 👉 Facebook: LigiaGuerra.Psicanalista 
👉 Instagram📷 @ligiaguerra.psicanalista 
👉 Site: ligiaguerra.com.br


⏰ 1 Minuto com *Lígia Guerra*

🎬 Reflexão de hoje 
👉🏻👉🏻 “Xô ansiedade, eu não te chamei!!!”

 👉 Facebook: LigiaGuerra.Psicanalista

👉 Instagram📷 @ligiaguerra.psicanalista
👉 Site: ligiaguerra.com.br

 

sábado, 27 de janeiro de 2018

Paciência...



Quem nunca conheceu uma história de reviravoltas? 

Aquela menina desajeitada dos tempos da escola que se tornou modelo. 
O rapaz tímido que abraçou a carreira de repórter. 
A amiga que namorou durante anos um garoto, mas casou com outro. 
O amigo que perdeu o emprego dos sonhos, mas que no meio do caos da situação mudou de país e achou o seu lugar no mundo. 
A mulher que rompeu um casamento de muitos anos, e somente na maturidade descobriu o significado do amor. 
O homem frustrado por nunca ter estudado e que após dar estudo para os filhos, foi para a universidade na terceira idade. 

O que essas pessoas têm em comum? Paciência. 

Se por um lado demoraram um pouco para mudar os seus cenários, por outro não desistiram. Nem sempre as transformações acontecem de acordo com a cronologia das nossas expectativas. 

Para alguns felicidade sorri bem cedo, ainda na juventude. 
Para outros ela é mais tímida, começa a se fazer presente na maturidade. 
E em alguns casos ela surge forte na terceira idade. 

Independente do seu momento de vida, não desista, conecte-se com o seu destino. 
Embora o tempo nos pregue peças, a felicidade jamais trai aqueles que depositam fé na sua alma linda! tenha certeza.

*Lígia Guerra*



sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Amar o Próximo...


Parece simples... Mas dá muito trabalho!!! 

De um modo geral todos temos expectativas sobre aqueles que nos rodeiam. Sobre algumas pessoas mais, sobre outras menos, mas temos! 

A principal questão não é o que esperamos, mas as mudanças que exigimos do outro, as quais talvez ele não tenha o mínimo interesse ou condições emocionais de realizar. 

Muito antes de ter a ideia de impor algo a outro ser humano, observe se você não invadiu um espaço que não lhe foi ofertado ou, analise se você é capaz de amar e de conviver com uma pessoa totalmente diferente do seu perfil ou das suas ideias de convivência. 

Se o amor for estruturado mais em desejos do que em fatos, ele naufraga! 

*Lígia Guerra*