Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Perder o fôlego...


Eu desejo que nesse ano você se depare 
com caminhos que te façam perder o fôlego...
Que te encantem... 
Que te seduzam... 
Que te embriaguem de felicidade!!! 

 - Lígia Guerra -

Palestra "A dança das emoções no palco da vida".

Sem título-1

Começando o ano do jeito que eu gosto...

Mais de 3500 Profissionais da Educação 

pensando comigo sobre as suas emoções .

Parabéns aos educadores . 

Momento inesquecível que vivi com esse time maravilhoso!!!





3500 Educadores...

1

Começando o ano no maior alto astral!!! Palestrando para mais de 3500 profissionais da Educação de Ponta Grossa.

Foi um encontro de muita reflexão 

e de propósitos construtivos.

O time do SindServ está de parabéns pela organização maravilhosa do evento!!!



3

11

5

010

15

14

19

21

18

8

sábado, 30 de janeiro de 2016

Não importa...


Não importa o caminho que você escolha.
Não importa se você prefere 
nadar no rio o surfar no mar.
Não importa o seu grau 
de inteligência ou de riqueza.
Não importa o seu peso ou a sua altura.
Não importa o seu gênero 
ou a cor da sua pele.
Não importa a sua pátria ou a sua religião.
Não importa a sua idade ou o seu estado civil.
Não importa se você é tímido ou extrovertido.
Não importa se você canta bem ou desafina.
Não importa se você gargalha alto 
ou sorri por dentro.
Não importa se você tem mania 
de organização ou de bagunça.
Não importa se você gosta de festa 
ou de silêncio.
Não importa se você tem um ou dez amigos.
Não importa se você é urbano 
ou interiorano.


Independente de quem você seja ou do que escolha...
O que importa é o quilate da sua alma.
A paz que lapida o seu coração.

- Lígia Guerra -



Olhos nos Olhos... Que tal?


quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Muito além do horizonte...

Que os seus projetos germinem. 
Suas pegadas construam. 
Suas certezas perfumem. 
Sua realizações brilhem muito além do horizonte. 

-  Lígia Guerra  -


terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Apaixonante...



Vivo um apaixonante caso de amor com as palavras… 
As que provocam. As que curam. As que transformam.

- Lígia Guerra -


Sua Jornada... Sua Conexão...

Conecte-se com cada detalhe da existência. Explore a sua jornada divina como fosse o primeiro suspiro da sua vida... ou o último dia da sua história. Esse termômetro emocional mudará a sua dinâmica com a jornada que abre as suas portas, todos os dias, para novas oportunidades. 


quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Gaiolas...


Muitas das gaiolas nas quais nos trancafiamos são processos emocionais mal resolvidos. 
Liberte os ressentimentos, os vazios, as mágoas... 
O que deixou de fazer sentido. 
Deixe que partam. Liberte-se!!! 

 - Lígia Guerra -


Seja!!!




Cores da Alma...



As emoções humanas colorem ou desbotam a nossa alma. Como psicanalista sei a imensa importância de nos conscientizarmos cada vez mais dos nossos pensamentos, sobretudo dos nossos sentimentos. Preste muita atenção em si mesmo, no seu mundo interior. Analise com calma cada estrada, esquina, ponte e curva da sua alma. 

Aproprie-se dos seus territórios íntimos para depender cada vez menos da aprovação externa. 

Tenha a certeza de que atraímos pessoas e energias conforme a nossa disposição mental. 

Exercite o seu psiquismo. Bom trabalho emocional!!! 

 Lígia Guerra


domingo, 17 de janeiro de 2016

O QUE OS SEUS OLHOS DIZEM?


O QUE OS SEUS OLHOS DIZEM? 

O QUE OS SEUS OLHOS PROCURAM?


- Lígia Guerra -


Quando crianças a maioria de nós aprendeu sobre a importância das raízes emocionais e éticas e sobre todas as possibilidades de crescimento que teríamos vida afora. Felizmente ainda não entendíamos bem o conceito de vergonha e insegurança. Mas o mundo insiste em nos ensinar isso rapidamente e em contaminar a nossa alma com medos e inseguranças. Aos poucos guardamos tantos entulhos emocionais que o coração fica literalmente apertado. Falta espaço!!! As dúvidas fazem sombra nas convicções.

Na juventude reconquistamos a ousadia. Mas os tempos são outros. Já corre em nossas veias a censura. O olhar alheio, por mais que tentemos ignorar e nos rebelar, pesa. Algumas marcas já existem e sabemos que muitas outras virão. A vida adulta já não é mais um borrão do futuro. É o próximo passo. Os ensaios encurtam e os acertos parecem obrigatórios. As cobranças internas e externas estão com o dedo em riste. A resposta  de alguns é enrijecer enquanto a de outros é flexibilizar. Assim, alguns se tornam idosos ao trinta ou quarenta anos. Outros serão jovens aos sessenta ou setenta. Graças a esses podemos nutrir nossas esperanças diante das incerteza do amanhã.

É certo que o tempo passa impiedoso. Ele é um professor implacável que não permite reposição de aulas, de provas, momentos ou oportunidades. Mas aquele que descobre que a desobediência é uma opção, não envelhece. Reinventa-se.

Os moldes iniciais servem para ajudar a dar curso aos rios da vida interior, mas no exato momento em que descobrimos que podemos ser mar, as margens se ampliam e a vida muda. Renascemos. O erro deixa de ser ‘apenas’ ensinamento. Torna-se um desafio! As mágoas dos reveses deixam de fazer sentido. Podemos retomar o destino.

As inseguranças se tornam afônicas, ao gritar para os nossos ouvidos ensurdecidos, palavras negativas . Queremos na platéia das nossas existências apenas aqueles que também aprenderam a rir de si mesmos… A seguir adiante. Aqueles que não ficam nos censurando, mas que nos orientam e fortificam nos momentos de angústia. Mas  que também celebram as nossas conquistas improváveis, inacreditáveis!

Aqueles que dizem: ‘E daí?’ Quando o projeto dos nossos sonhos não teve o desfecho que imaginávamos.

Aliás, para aqueles que julgam que os bons projetos são apenas aqueles que foram um sucesso aos olhos alheios, eu pergunto: Você se arrependeu de ter tentado quando as coisas não deram certo? Espero que não. Afinal, você viveu. Acreditou. Sentiu. Não foi um morto vivo. Preferiu se inspirar nas biografias de outros corajosos do que nos obituários dos medrosos.

Assim nos reinventamos.
Assim caminhamos por novas estradas.
Assim desenvolvemos novos olhares.
Para os olhos de crítica, a nossa indiferença.
Para os olhos de amizade, a nossa gratidão.
Para os olhos de fé, a nossa inspiração.
Para os olhos do medo, mostre a língua!
Para os olhos do amor, abra o seu melhor sorriso.
Olho no olho. Olho por olho, jamais.
Não precisamos de olhos de espada… Mas de olhos de estrada.
Olhos que sempre apontem novos horizontes.
Olhos que entre um piscar e outro transpirem encorajamento.


Acredite!!!





Convite...

O meu site está novinho em folha!!! 
Venha bater as suas asas por aqui...