Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Fel e MEL...



Tem gente que me pergunta se eu não sinto angústias e sofrimentos. Claro que sim! Aliás, são muitos, profundos e doloridos. A diferença é que ao destilá-los eu jogo fora o fel e fico com o mel. Nunca fui simpatizante da autopiedade. Prefiro transformar a minha dor em poemas de amor. Como dizia Caio Abreu ‘quando você não tem amor, você ainda tem as estradas’. Eu, pelo menos, sempre tenho um caminho alternativo, amo demais a vida para explorar uma única alternativa.

- Lígia Guerra -

3 comentários:

Marcelo Cavalcante disse...

DISSE TUDO!

"QUANDO OLHARMOS EM TODAS AS DIREÇÕES
E SÓ CONTEMPLARMOS O BELO,
O AMOR TERÁ ATINGIDO A PLENITUDE EM NÓS!"

Ou seja, extrairemos beleza de tudo que vivermos, até mesmo dos reveses da vida!

Sorrir é sempre a melhor solução!

Francisco Elui disse...

Boa tarde!

É uma questão de opção. E tbn de coração.
E o hoje é o futuro. A nossa verdade é uma. A realidade é outra.
Somos o mundo. E se aprendemos a voar, para que rastejar? Ou andar pelo fundo? A vida é uma orquestra, que oferece o que cada um quizer escutar. E sempre tem os que aprendem até a dançar.
tudo é muito bom, mas dá sempre para melhorar.
Portanto nada custa sempre colaborar.

Francisco Elui

Fernando Azevedo disse...

obrigado por reforçar em mim mais esta lição.
beijos