Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A sensibilidade de David Garrett...



David Garrett é apaixonante, carismático e dono de um talento ímpar. Esse violinista tira a alma do seu público para dançar, viajar e voar... Em meio ao mundo alquímico das suas músicas que bailam graciosamente entre as suas hábeis mãos. Ele me faz lembrar de uma reflexão de Nietzsche:

"Creio que aqueles que mais entendem de felicidade são as borboletas e as bolhas de sabão... Ver girar essas pequenas almas leves, loucas, graciosas e que se movem é o que, de mim, arrancam lágrimas e canções. Eu só poderia acreditar em um Deus que soubesse dançar. E quando vi meu demônio, pareceu-me sério, grave, profundo, solene. Era o espírito da gravidade. Ele é que faz cair todas as coisas. Não é com ira, mas com riso que se mata. Coragem! Vamos matar o espírito da gravidade! Eu aprendi a andar. Desde então, passei por mim a correr. Eu aprendi a voar. Desde então, não quero que me empurrem para mudar. Agora sou leve, agora vôo, agora vejo por baixo de mim mesmo, agora um Deus dança em mim!"

2 comentários:

RONALDO FERREIRA disse...

Devemos realmente aniquilar os nossos demônios, não apenas o da gravidade como diz a reflexão de Nietzche. Deus nos proporciona tanta grandeza e na maioria das vezes valorizamos tão pouco, priorizando as futilidades da vida.

Reflexão e motivação disse...

Devemos realmente aniquilar os nossos demônios, não apenas o da gravidade como diz a reflexão de Nietzche. Deus nos proporciona tanta grandeza e na maioria das vezes valorizamos tão pouco, priorizando as futilidades da vida.