Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Ando devagar...


...Conta-se que num dia qualquer,  Almir Sater estava em São Paulo para uma temporada, e desceu do seu apartamento para tomar um cafezinho num mercado ali perto. Chegando encontrou Renato Teixeira, que o convidou para experimentar uma viola nova que acabara de comprar.


Enquanto tomavam café, Almir dedilhou a viola e soltou... "Ando devagar"... Ao que Renato emendou ..."porque já tive pressa". Dizem que essa maravilha ficou pronta em 10 minutos. Um dia alguém perguntou ao Almir como essa música fora feita e ele respondeu...

"Ela estava pronta... Deus apenas esperou que eu e o Renato nos encontrássemos para mostrá-la pra gente".

Não sei se isso é lenda ou verdade...  Tanto faz... Mas música e letra são realmente espetaculares... Uma jóia rara, feita num iluminado momento de inspiração. Então, espero que após ouvirmos possamos aplicar esses ensinamentos, dentro da nossa correria do dia a dia. Às vezes precisamos andar devagar, porque não adianta ter pressa.



- Almir Sater e Renato Teixeira -

Nenhum comentário: