Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

terça-feira, 4 de julho de 2017

Experiência...


Diariamente renascemos, somos uma nova versão de nós mesmos. Algumas vezes nos tornamos mais ousados… noutras menos. Entre as folhas do calendário vamos construindo a nossa narrativa e conquistando o nosso espaço. Alguns caminham pelo bairro, outros pela cidade e alguns seguem o seu destino mundo afora. 

A felicidade não depende de quilometragem, mas de um modo de ser e de sentir a vida. Somente uma coisa deverá ser evitada, observar a vida pelo buraco da fechadura. Nada é pior do que “apreciar” o destino pela metade, observar as possibilidades por uma visão estreita e castradora.  é algo que não se empresta, adquire-se. 

Caminhe até onde quiser e não se preocupe com o percurso, apenas não se intimide diante da porta. A fechadura serve para abrir a passagem e não para te fechar para a vida. Rode o trinco. Não se preocupe em conquistar o mundo, você está nessa jornada para conquistar o seu auto amor. Todo o resto é consequência desse respeito e desse carinho por si mesmo. 

*Lígia Guerra*

Nenhum comentário: