Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sábado, 31 de maio de 2014

A GUERREIRA SE REENCONTRA!!!


Outro dia eu estava lendo um texto do Millôr Fernandes, onde ele afirmava sofrer de ‘Mimfobia”. Já ouviu falar? Segundo ele é o medo que temos de nós mesmos. Isso é irônico. Não é medo de assalto, violência, desemprego ou da morte. Mas o medo de nós mesmas. Por mais estranho que pareça, faz um sentido danado. Quem nos sabota? Nós mesmas. Quem nos paralisa? Os nossos medos. Quem faz as piores críticas? O nosso ego. Quem puxa o nosso tapete? As nossas inseguranças. Estamos todas padecendo desse mal e o que é pior, ele é poderoso! É um agente interno. A batalha fica bem mais difícil porque a mocinha e a vilã pertencem à mesma dona. Como tratar o problema? 

Compreendendo que a vilã, na verdade, é a mesma pessoa, ela é a nossa mocinha adoecida, abandonada, negligenciada que clama por socorro. Na medida em que ela volte a receber atenção, renasce uma guerreira!!! Voltamos a ser capazes de vencer os maiores embates. Voltamos a iluminar o mundo. 

 - Lígia Guerra -

Nenhum comentário: