Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Lágrima...


Existem dias em que os choros se misturam... De tristeza pelo que partiu... De alegria pelo que está chegando. Seja como for eu não quero deixar de sentir essa chuva que rola dos meus olhos de tempestade ou dos meus olhos de sol. Cada lágrima anuncia que de algum modo estou enfrentando os meus rituais de passagem. Passando pela tristeza... Passando pela alegria... Talvez seja essa a grande lição, o mutável, o instável, o novo. Quem sabe assim, algum dia, eu aprenda que independente do quanto doa ou do quanto felicite, a vida é como tem que ser e não adianta fazer alarde por POUCO, o melhor é comemorar MUITO cada momento.

- Lígia Guerra -

Um comentário:

Francisco Elui Ferreira Terres disse...

Boa tarde!

É, a vida nos reserva surpresas, muitas nos transformam, outras viram tudo do lado avesso. Não interessa as condições do momento, não pergunta, não faz preço. As vezes parece que estou com o corpo inerte, cheio de gesso.
Só sei que cada dia é um novo milagre, meu Deus sempre me oferece a chance de um novo recomeço. Sorrindo e alegre, sigo em frente, já me perdoei, também espero de quem amei, e vou viver contente.

Abraços.

Francisco Eluí