Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Desapego...


O maior desapego de todos é aquele que nos permite voar entre os nossos sonhos e as nossas verdades sem nos importarmos com o que digam os olhos alheios. A vida é composta do mesmo material com que são construídos os nossos sonhos. Quando percebemos isso, despertamos para a urgência de aprender a virar a página para os capítulos que não fazem mais sentido no nosso enredo, seja uma amor que se esvaziou, um emprego que se tornou monocromático ou uma opinião idealizada sobre a vida.

Mandar embora, concluir, saber compreender quando é momento de partir e quando é sábio recomeçar, todos são passos do desapego. O processo pode ser doloroso, jamais estéril.

Desapego implica em riscos, mas também representa felicidade, intensidade e muito prazer em sermos nós mesmos. Tomou o caminho errado? Refaça-o, não crie dramas existenciais, apenas aprenda com os equívocos.


Exercite-se! Jogue fora as emoções que desequilibram a sua mente e o seu corpo, doe as roupas que não usa, repasse os livros lidos, ore pelos outros, emita bons pensamentos, presenteie com atitudes, poemas, sorrisos e abraços. Não represe a sua energia, compartilhe-a.

Abra a porta da frente da sua casa emocional para novos ventos, amigos e olhares. Sim, os olhos cansados não enxergam nada além do tédio, da rotina e do óbvio. Não espere o momento ideal para decidir, amar e viver, pois ele é agora.

- Lígia Guerra -

5 comentários:

placco araujo disse...

Minha amiga...(pois eu a considero assim!), gosto dos teus textos no geral, mas este especialmente me tocou fundo, pois ele passa um certo "desabafo" junto com as gotas de otimismo, espargidas diariamente sobre nós vindas de você... (nem sei se a palavra certa seria desabafo, mas é algo de quem já trabalhou isto em si, para poder dizer com tanta propriedade!!!).
Hoje, ao mandar um cartão de aniversário a um amigo, disse a ele que hoje (agora) é um dia especial, pois é O PRIMEIRO DIA DO RESTO DA SUA VIDA.

E o momento é agora, sempre...

Beijos ternos, neste coração sempre trav3sso...

Edson

⊰⊹✿Eliane disse...

Nossa que texto maravilhoso! do tipo pra pregar na porta da geladeira e ler tds os dias como lição diária. amei! bjs!

http://palavraseessencias.blogspot.com/

Braulio Pereira disse...

oi ternura


Amei ficar aqui com voce..


beijos!!

Marianne disse...

Sou uma jovem de 23 anos e admiradona, uma fã sua!!!
Foi através do seu blog que me motivou a fazer o meu próprio blog em homenagem ao meu amor.
Que você continue assim Lígia, inspirando outros jovens por este mundo a fora. Seu profissionalismo, carisma e simplicidade me fascinam,obrigada por tudo, por me fazer até mesmo olhar para a vida como uma bela poesia, beijos querida!

Quem Casa quer Casa disse...

Oie... Vi o jornal de quinta, e adorei... e hoje li seu texto... e eu sou assim, tento não me apegar a nada... como vc diz no texto não se apegar da um ar de liberadade a nós... quando disse das roupas, lembrei de duas amigas... elas não doam roupas por nada... fico tão triste com isto... quando vejo pessoas na rua, passando fome, passando frio... Doo todos os anos... além de me dar liberade, ajudo outras pessoas, e acho que todo deviam fazê-lo...
e sobre o comentário da Marianne, vc inspira muitas pessoas...
Vc é uma pessoa iluminada...

BEIJOSS