Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sexta-feira, 13 de maio de 2011

... Até o último suspiro...

A experiência amorosa exige sacrifício. Não se ama para ser recompensado. O amor é sua própria recompensa. (...) É a experiência humana mais exigente; não é contrato, troca de favores, investimento, é entrega e compromisso. Do ‘sacrifício’ de amar nasce a mais perfeita alegria. Ninguém faz cara feia quando se sacrifica por amor. Não se trata de anulação, subserviência de quem ama, trata-se da morte do ego, tarefa a ser feita até o último suspiro.

- Adélia Prado -

4 comentários:

Poseidón disse...

Ola amiga,

Um prazer passar por sua casa e lê teu post.

Convido-vos a ver o meu post de hoje .. eu apresento um livro maravilhoso, carinhoso, lindo escrito pelo meu amigo Fabiano Cavalcanti sobre as aventuras de um fã do Rei Roberto Carlos.

Beijos

Patricia disse...

Adélia, uma poetisa que acredito irá gostar muito é Ana Cristina Cesar.
Patricia

Francisco Elui disse...

Oi Ligia! Grande doçura de Adelia Prado. Não devemos alimentar amarguras na vida. Ela tem que ser, livre, igual aos nossos pensamentos.
Leve, suave tal como o cetim ou a seda. As vezes como o linho ou o algodão.
Mas vivemos o reflexo do nosso coração. Prefiro não escutar o amor.. sentir somente. É ele que me leva sempre em frente. Ai esqueço tudo, claro amar é bom.
O ego? A ele nunca me entrego, isso não é pra mim.

Abraços.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Viver é todo 'sacrifício' feito em seu nome: amar assim é amar...
Sou fã de Adélia Luiza Prado, sou fã de ser fã de Lígia Paz...

Bom domingo,
Ramúcio.