Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quinta-feira, 31 de março de 2011

Poeira...

Por causa de um gesto meio desajeitado, uma falta de sincronia, em vez de cumprimentarem-se como amigos, com dois beijos castos nas maçãs do rosto, as suas bocas se tocaram, em frente ao portão da casa dos Della Rocca. Ernesto lhe pedira desculpas, mas depois colou outra vez seus lábios nos dela, e Soledad sentiu toda a poeira que estivera depositada sobre o coração durante aqueles anos elevar-se num turbilhão e acabar nos olhos.

 
- Paolo Giordano -

Um comentário:

Emilio J. Pazos Brenlla disse...

Muitos casais ea relação começa, desta forma. se todos os casais poderão viver com essa incerteza de não saber se você está no caminho certo e temos que renovar a sua curiosidade, o seu amor todos os dias ... O que aconteceria?

Uma saudação.