Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sexta-feira, 14 de abril de 2017



Precisa usar as suas duas asas para ser feliz. Existe uma lenda indiana que provoca uma instigante reflexão sobre a liberdade. 

“Era uma vez, um certo mercador que possuía um papagaio preso em uma gaiola. Um dia, estando de partida para a Índia tratar de negócios. Dirigiu-se ao pássaro e lhe disse: 

- Estou viajando à tua terra natal. Tens alguma mensagem que desejas enviar aos teus parentes de lá? 

- Diz-lhes simplesmente que estou vivendo numa gaiola. Ao voltar da viagem o mercador disse ao papagaio: - Sinto dizer-te que quando encontrei os teus parentes na floresta e lhes contei que vivias engaiolado; a comoção foi forte demais para um deles, pois mal ouviu a notícia, caiu do alto do galho onde se achava. Sem dúvida, morreu de tristeza. 

No mesmo instante em que o mercador terminou de falar, o louro caiu duro no chão da gaiola. Penalizado o mercador tirou o papagaio da gaiola e o colocou do lado de fora, no jardim. 

Então, o louro que havia recebido e compreendido a mensagem subliminar transmitida pelo amigo, imediatamente levantou, bateu asas e voou para longe, muito longe… Completamente fora do alcance do mercador." 

O amor para crescer vigoroso, forte e pleno, não pode ficar aprisionado na gaiola do ciúme, da posse ou do controle. 

Quer viver um sentimento correspondido? Invista na confiança e valorize os sonhos do seu companheiro. 

 - Lígia Guerra -


Nenhum comentário: