Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Depositei...


Depositei em tua boca a minha desordem febril. Embora não tenha beijado teus lábios, suspirei nossos desejos. Sorvi cada gota do nosso contentamento por compartilharmos a companhia um do outro. Ficávamos nus de alma. O corpo pedia o mesmo. Pensei que teria tempo para arrumar as gavetas das nossas desordens afetivas. Mas partiste sem que ao menos eu pudesse entregar a minha carta confessa de verdades cruas. Apesar da dor e da negação, quem vencia era o amor. Foste. Estás. Onde? 

- Lígia Guerra -


Nenhum comentário: