Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

terça-feira, 13 de outubro de 2015

DIA INTERNACIONAL DO ESCRITOR...

Hoje é o nosso dia!!! Qual de nós não tem uma história para contar? Uma escolha para celebrar... Ou para se arrepender? Qual de nós não sofre com as lembranças das palavras gritadas e das palavras emudecidas? Histórias escritas, histórias abandonadas, histórias vividas, histórias sufocadas ou esquecidas pela vida que já partiu. 


- Lígia Guerra -


Hoje é dia dos escritores que emocionam, que dão forma, que transpiram e eternizam sentimentos coletivos nas folhas, nas telas, nos roteiros e nas músicas. 

“Quando penso em você... Sinto medo de estar esquecendo o seu rosto... Sinto medo de estar esquecendo a sua voz. O que estará fazendo nesse momento? Para quem estará sorrindo? Ainda preciso de uma palavra sua... De um olhar seu... De um gesto seu. Mas de repente sinto seus gestos nos meus... Reconheço você nas minhas palavras. 

Todos aqueles que se vão sempre deixam um pouco de si? É este o segredo da memória? Se for assim me sinto mais segura, pois sei que jamais estarei sozinha. 

 - Trecho do filme ‘Janela da Frente ‘ de Ferzan Ozpettek – Embalado pela música do fantástico compositor Andrea Guerra.




Nenhum comentário: