Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

SOBRE OS RITOS DE PASSAGEM...




Nem sempre é fácil fechar os ciclos… Embora isso nem sempre signifique teimosia ou imaturidade. Pode ser “apenas” saudade antecipada. Um sentimento que os seres humanos mais prodigiosos emocionalmente, captam no exato instante em que o respiram. Sentem os pés do tempo… tatuando as suas pegadas na terra úmida do coração. 

Deixar partir aquele que amamos, abrir mão da sua companhia, afeto, luz e alegria, requer imenso altruísmo! Compreender que a ausência suportada é uma das maiores declarações de amor em determinadas circunstâncias, exige imensa força interior. Mas a certeza da mudança nos alerta: Tudo aquilo que você ama se transformará de algum modo, sejam as circunstâncias, as pessoas, as fases ou a respiração. Por fim… O amor retornará de uma forma diferente. Relembrando ou contando novas histórias. Essa é a forma da vida vencer a crueldade do tempo. 

- Lígia Guerra -


Nenhum comentário: