Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Na amizade...


“Existe uma lenda oriental que conta a história de uma árvore que vivia completamente solitária no alto da montanha. Não tinha sido sempre assim. Em tempos passados a montanha estivera coberta de árvores maravilhosas, altas e esguias, que os lenhadores cortaram e venderam. Mas aquela árvore era torta, não podia ser transformada em tábuas. Inútil para os seus propósitos, os lenhadores a deixaram lá. Depois vieram os caçadores das essências em busca de madeiras perfumadas. Mas a árvore torta, por não ter cheiro algum, foi desprezada e lá ficou. Por ser "inútil", sobreviveu. Hoje ela está sozinha na montanha. Os viajantes se assentam sob a sua sombra e descansam.” 

Uma amizade verdadeira é como aquela árvore. Nada precisa ser ofertado. Basta a presença do outro para que nos sintamos felizes. É no bailar dos sorrisos soltos e despretensiosos que surgem os mais belos momentos da existência. Na amizade existe apenas o perfume da alma. Qualquer pão com manteiga vira festividade. Qualquer notícia boba vira brinde. As dores encontram aconchego. A felicidade encontra festa pronta! 

Na amizade suspendemos palavras e acolhemos olhares. Amizades são estrelas cadentes que atingem os corações das pessoas que se querem bem por nada e se amam por tudo. 

Muito obrigada por você existir!!! 

- Lígia Guerra -


Nenhum comentário: