Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Que a saudade rasgue o teu peito...


Não me alimento de quases. 
Jamais serei sua meio amiga... 
Sua história pela metade... 
Sequer uma doce lembrança.
Prefiro que a tua boca amargue 
e você me odeie por inteiro. 
Enredos apaixonados não são insossos. 

Desejo que você engula as suas mágoas mudas. 
Mas que ao lembrar de mim 
o teu coração saia pela boca. 
O teu ressentimento se transforme em nó na garganta. 
Que a saudade rasgue teu peito sem compaixão! 
E que você tenha a certeza que deixou 
escorrer entre as suas mãos… 
O amor mais lindo e intenso que já existiu. 
Aquele que a vida jamais voltará a te ofertar. 

-  Lígia Guerra -




Nenhum comentário: