Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

- MINHA PRIMEIRA BIENAL -


Quero agradecer a todos os que transformaram esse momento em um capítulo inesquecível da minha história. Agradeço aos organizadores da Bienal, a toda equipe da Sextante e aos meus leitores queridos. É inexplicável a emoção de participar de uma Bienal, pois é um espaço onde acontece a mais pura democratização da cultura. O evento reúne pessoas das mais variadas idades, cidades, religiões, gostos, aptidões e ideologias. São dias em que as diferenças são deixadas de lado para dar espaço a uma paixão em comum, a leitura. 

No momento em que o meu crachá foi colocado em mim, confesso que me senti ganhando uma medalha! O melhor de tudo é que não precisei superar ninguém, muito pelo contrário, um escritor que ama escrever une pessoas. Espero ganhar muitas outras medalhas como essa. 

 Gratidão a todos. 

 - Lígia Guerra - 

PS: Reparem nos botons que a minha editora linda mandou fazer para os nossos leitores. — em Bienal do Livro SP.