Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

domingo, 15 de dezembro de 2013

Livro Mulheres às Av3ssas é destaque do jornal Gazeta do Povo!!!

Tocar a alma feminina sem estigmas de vaidade, filosofias e preconceitos. Essa é a ideia proposta por Lígia Guerra, psicóloga e comentarista comportamental na RPC TV, em seu livro Mulheres às Avessas (R$ 19,90) lançado no último dia 25 de novembro. A obra aborda com naturalidade as angústias de diferentes gerações femininas numa conversa leve e sem rodeios, e propõe uma reflexão sobre o que ecoa dentro do coração de cada mulher, ainda que estejam em momentos de vida diferentes. Durante um bate-papo com a reportagem do Viver Bem, a autora comentou sobre a maior dificuldade das mulheres na atualidade: não perder a doçura.

Para Lígia, os avanços das mulheres no mercado de trabalho as deixaram mais duras. “Tivemos que ficar assim necessariamente para tomarmos decisões que nem sempre são agradáveis, nem sempre é fácil falar não”, explica. Sobre o livro Mulheres às Avessas, de Lígia Guerra Preço: R$ 19,90 / E-book: R$ 12,99 - Páginas: 128 - Editora Sextante.

A psicóloga diz que, desde ter que deixar o filho em casa para ir ao trabalho, até as desculpinhas bobas de extrapolar o regime no meio da semana comendo um bombom, a mulher está sempre cobrando muito de todos e, principalmente, de si mesma. “A mulher é muito mais ‘crica’ em relação à própria mulher, excessivamente autocrítica e ainda pouco crítica, talvez, em relação aos homens em alguns aspectos”. Ser super-heroínas? Impossível. O livro expõe que, por assumir muitas responsabilidades, as mulheres se escravizam com esse ícone da perfeição o tempo todo.

A pretensão defendida por Lígia é fazer uma reflexão do quanto as mulheres precisam ser mais levadas a sério. “A mulher é a última da fila. Ela arruma a roupinha dos filhos, ajuda o marido a se vestir e, no último momento, vai ao banho e faz sua maquiagem quando dá tempo”. Pela busca da perfeição, a vida pessoal acaba sendo sacrificada. Com tantos dilemas, o segredo da escritora para ser uma mulher às avessas é pensar com a própria cabeça e ser guiada pelo coração. “Quando nós conseguimos unir isso em equilíbrio, nós tomamos as melhores decisões das nossas vidas”, argumenta. A chave para Lígia é: fazer mente e alma conversar e se reinventar todos os dias. 

 15/12/2013 Matéria da jornalista Eloá Cruz.



Nenhum comentário: