Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Mulheres às Av3ssas na Rede Globo...


O passo e o descompasso da vaidade e do orgulho. A vaidade e o orgulho são coisas diferentes, embora as palavras sejam frequentemente usadas como sinónimos. Uma pessoa pode ser orgulhosa sem ser vaidosa. O orgulho relaciona-se mais com a opinião que temos de nós mesmos, e a vaidade, com o que desejaríamos que os outros pensassem de nós. 

O orgulho e a vaidade são amarras emocionais que nos escravizam. O orgulho é a forma que nos enxergamos. A vaidade é a forma que gostaríamos que os outros nos enxergassem. Nessa gangorra do narcisismo se torna difícil reconhecermos quem de fato somos. Assim, muitos preferem viver em função da sua imagem a viver em função dos seus valores. 

Os olhos alheios se tornaram os termômetros da possível felicidade individual e, com isso, invariavelmente, muita frustração, depressão e vazio começam bater na porta daqueles que se tornaram reféns das suas escolhas vazias. Reflita comigo. 

- Lígia Guerra -



Nenhum comentário: