Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sábado, 27 de abril de 2013

Livremente...

O amor que respira.
O amor que dança livremente no coração.
O mais belo de todos!

- Lígia Guerra -

Deixem que haja espaços na união entre vocês.  
E deixem que os ventos dos céus dancem entre vocês.  
Amem um ao outro,  
mas não tornem o amor uma obrigação.  
Ao contrário.
Deixem que ele seja um mar em movimento 
entre as praias de suas almas.   

- Khalil Gibran -


Um comentário:

Paulo Tamburro. disse...

OI LIGIA.

Sou seguidor já faz algum tempo .

É só conferir a chave na fechadura, meu perfil,entre os demais.

E durante todo esse tempo venho me perguntando a razão pela qual, não consigo distanciar-me daqui.

O obviedade da resposta fica explícita a cada nova postagem,sua ou estendendo a mão, para pensamento de terceiros ou,pontificando com competência suas teses.

E desta vez ninguém tão mais conhecido do que Khalil Gibran.

Quer maior prova de amor do que isso?

Exatamente, esse desprendimento,generosidades,subserviência consciente ao fato de que, outros possam exprimir mais e melhor, nossos ponto de vista, enfim...você pode, por direito adquirido com firma reconhecida no tabelião do se passado,falar de amor através de você ou daqueles que se alinham, no seu foco de conhecimento.

Pois afinal, ligia , o que é o amor senão a forma mais virulenta de desapego,desprendimento e renúncia.

Maior exemplo é o da natureza que tira daquele casulo escuro e desconfortável, no qual está presa uma lagarta e a liberta,numa transmutação despojada, e dá vida a borboleta.

Continue voando, LIGIA!

Continue nos ensinando a voar.

Um abração carioca.