Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 6 de março de 2013

Apaixonadamente...


A chuva lava a terra. As lágrimas lavam a alma.
Ambas preparam o solo. 
Uma faz germinar a colheita. 
A outra faz germinar a alma. 
 Quando chove muito, a terra é destruída. 
Quando o choro é muito, algo está errado. 
Quando não chove nada. A terra seca. 
Quando não existe emoção. A alma está seca. 
Tanto a chuva quanto as lágrimas são símbolos de que algo novo poderá brotar. 
O que atrapalha é o medo de se molhar. 
A lágrima toca os lábios da tristeza. 
Mas também beija apaixonadamente 
os lábios da alegria. 

 - Lígia Guerra -


Nenhum comentário: