Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sábado, 21 de janeiro de 2012

A face discreta do amor ...

Ver beleza onde todos a enxergam é um lugar comum... No entanto, ver beleza nos detalhes, nas palavras não ditas, nos olhares mudos que falam de paixão e nos corações silenciosos que cantam, nos torna únicos. É assim que o amor se pronuncia, no silêncio, no aroma da pele que pede para ser tocada, na música que só os amantes decifram e compartilham. Devido a isso é que o amor não é presença comum, mas ilustre, ele só compartilha a sua companhia com quem merece, é exigente! Ele requer sensibilidade, ternura, compreensão, empatia, paciência, sedução, calor, entrega e... 

Um olhar extremamente atento ao que ninguém vê, percebe ou capta. O amor só pode ser compartilhado por quem desvendou a sua linguagem única que não é ensinada em nenhuma escola, apenas descoberta entre duas almas que se tocam, se descobrem e se desejam. Assim, quando menos percebemos... Estamos frente a frente desse sentimento a que tanto ansiávamos. Ele olha no fundo dos nossos olhos para perceber se de fato merecemos a sua companhia e só assim... Como quem nada quer... Se aloja nos corações enamorados...

- Lígia Guerra -