Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Óbvio...


Quando rio, rasgo o meu melhor sorriso. Quando choro, abro as torneiras do corpo e deixo extravasar a alma. Eu gargalho alto e choro até me diluir... Não importa a hora, o lugar ou se estou cercada de platéia ou de absoluta solidão. O que eu sinto me pertence, comove-me, derruba-me, mas também me fortalece e enriquece. Sou uma tela colorida composta de pinceladas de todas as cores: vibrantes, nostálgicas, fracas e fortes. A ‘Gestalt’ da pintura só é compreendida por aqueles enxergam além do óbvio.

- Lígia Guerra -

Nenhum comentário: