Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Escrevo...

A minha alma grita.
O meu coração dita...
Então escrevo.

- Lígia Guerra -

6 comentários:

placco araujo disse...

Eu tenho dormido mal, então nunca sei quando foi ontem ou é hoje, só sei com certeza de que não é amanhã...e ao acordar, sempre penso em dar uma passadinha, para ler estas suas cardiografias tão lindas, menina...

beijos

Edson

Luna Sanchez disse...

O mesmo processo acontece aqui.

E eu gosto.

;)

Francisco Elui disse...

È assim. Isso não tem fim.
E tem só o começo.
É sem valor, não tem preço.
Pra fugir de tudo e da dor.
Virei do avesso. Mudei até de endereço.
Cheguei aqui e senti, o doce perfume no ar. Ai então percebi o que estava a procurar.
O endereço da vida que estava a me procurar.
Me levou para seus braços e começou me enamorar.
Então encontrei o caminho, onde se aprende a AMAR.

Francisco Elui

Fernanda Barcellos disse...

É isso mesmo. Escrever é alimento. Cura.

Beijoos meus

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Em meio a este enleio é que te leio: creio em entrelinhas e portas entreabertas...

Abraço entretecendo amizade,
Pedro Ramúcio.

Lorde Croowel disse...

Todos nó sabemos do que se trata. Impulsos da alma, do coração. Quem aprecia a arte ou aqueles que fazem arte, não vivem sem tais impulsos...escrever é uma dádiva.