Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sábado, 27 de agosto de 2011

O Rio e o Oceano...


Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo. Olha para trás, para toda a jornada,os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar.Ninguém pode voltar.Voltar é impossível na existência. Você pode apenas ir em frente. O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece. Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano. Por um lado é desaparecimento e por outro lado é renascimento. Assim somos nós. Só podemos ir em frente e arriscar. Coragem !! Avance firme e torne-se Oceano!!!

- OSHO -

Um comentário:

Francisco Hardy Filho disse...

Bonito isso! Gosto de ser Rio! O Oceano, bem, o Oceano também evolui...: vira lago salgado, laguna, forma recifes, passa por calmarias, forma ventos e ondas, tem marés influenciadas até pela Lua, evapora, vira nuvem, geleira, neve, geada, furacão... e volta a ser rio...: rápido, muito rápido, quando desce as montanhas mais altas; mais calmo, quando chega ao planalto; mais vagaroso, quando pega o lento escorregador que leva à planície...; rios formam lagos, lagoas, pântanos... alguns, sabedores da sua força e da sua responsabilidade, de longo curso...; outros, afluentes, poluídos, ou cristalinos... rios... e suas margens...