Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Hora exata...

Tem um poema da Florbela Espanca que diz assim: 
"As coisas vêm a seu tempo, 
quando vêm, essa é a verdade". 
Um dia a coisa sai. 
E eu acredito no mecanismo do infinito, 
fazendo com que tudo aconteça na hora exata.


- Caio Fernando Abreu -

2 comentários:

Celia na Italia disse...

Mas nem sempre os relógios estão acertados no mesmo time!

Francisco Elui disse...

Sempre olho a vida, sempre recomeço
Romper com certos costumes, refazer o meu cardápio.
Faço disso brincadeira, no humor que aprendi.
Pois viver de mau humor, é alimentar a dor, e não é pra este mundo que está aqui.
Quando me dei por gente, foi dele que fugi. E viver alegre e faceiro, com o bolso sem dinheiro, foi isso que escolhi.
E sabe o que aconteceu? O Francisco sobreviveu, e aconteceu o contrário, tenho tudo nada falta.
Amo o pão que faço, a canja, que adoro e refaço, até parece um compaço, de quem me dá um abraço.
E sorrindo me diz BOMMMMM DIAAAAAAA.
Pode ser José ou Maria na música suave e lenta. Sou um vencedor, salvo pelo AMOR. Que cresce como fermento, é a melhor parceria, a qualquer hora do dia. O MELHOR DOS CASAMENTO.

Ligia acordei avesso, como um menino travesso, e adoro este recomeço, onde não precisa dinheiro.
È brincar com a idéia, escrever para a platéia.....
Senti fome... vou tomar café...

bjs.