Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Mulheres às Av3ssas na Rede Globo...

Deveria existir uma disciplina nas escolas sobre as belezas da vida. Certamente teríamos mais gratidão do que infelicidade. A beleza não é inútil. Se assim fosse, o mundo não precisaria das flores, do mar, do arco-íris ou dos pores-do-sol. Quando deixamos de enxergar a beleza no mundo e nas pessoas, tornamo-nos infelizes e viciados em padrões estéticos. Deixamos de enxergar o belo. A beleza só passa a ser um problema quando você se vê como um objeto e permite que o vejam dessa forma. Exercite-se. Procure beleza nas pessoas que convivem com você. Vamos refletir sobre isso? 

- Lígia Guerra -


2 comentários:

Eduardo Carvalho disse...

Plenamente! Por isso a beleza não para em alguém: aquele ser que é belo flui, faz circular, notando-se por uma percepção que vai muito além do tal “padrão estético”. Nenhuma aparência segura a beleza verdadeira, quando a gente vê ela não mais está aos nossos olhos, já adentrou em nossa alma. Parabéns, raras são as expressões que traduzem isso, porém, extremamente felizes..

Eduardo Carvalho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.