Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Pressinto...


Quando escrevo pressinto as mãos de Deus sobre as minhas. 
Acredito que isso seja uma forma de oração. 

 - Lígia Guerra -


Um comentário:

Francisco Elui Ferreira Terres disse...

Neste momento gostaria de ser:
CLARICE LISPECTOR.
Mas até agora sou "eu" Nada neste mundo é meu, inclusive comentam, que não tenho nada, pois tudo o que chega na minha vida, transfiro em forma de doação para alguém.
Nasci assim, sou assim, mas nada sei de mim.
Aprendi sorrir do que veio e me enfrenta e também das dúvidas que por vezes me atormenta.
Longe vivo de quem reclama, não se ama ou se lamenta, pois acredito no meu Deus, no sorriso das pessoas.
Na inteligencia de quem tem, que é de todos o maior bem.
Entro com a simplicidade nos lugares passo, mais ainda aos valores, que muitas pessoas tem.
Mas isso somente é visível para quem sabe de onde vem.
E aos amores de nossas vidas, são flores sempre colhidas no sentimento de toda e qualquer existência.

Boa noite!

Francisco Eluí Ferreira Terres