Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Inútil...


É preciso amar o inútil. Criar pombos sem pensar em comê-los, plantar roseiras sem pensar em colher rosas, escrever sem pensar em publicar, fazer coisas assim sem esperar nada em troca. A distância mais curta entre dois pontos pode ser a linha reta, mas é nos caminhos curvos que se encontram as melhores coisas. Este céu que nem promete chuva. Aquela estrelinha que esta nascendo ali... Está vendo aquela estrelinha? Há milênios não tem feito nada, não guiou os Reis Magos, nem os pastores, nem os marinheiros. Não fez nada. Apenas brilha. Ninguém repara nela porque é uma estrela inútil. Pois é preciso amar o inútil porque no inútil esta a beleza. No inútil esta Deus.

 
- Lygia Fagundes Telles -

2 comentários:

Maria Luiza disse...

Oi Lígia
Sempre com lindas palavras, lindas mensagens. Já a conheço pela televisão e hoje encontrei o seu blog. Estou adorando! Acabei de ler a sua postagem, e é exatamente como penso, na minha caminhada pela vida, enfrentando de tudo e a todos, posso dizer que sou uma mulher feliz, pois sou como sou, faço tudo que manda o meu coração, sem esperar nada em troca... Mas há um porém, quando você faz o bem, ele volta em dobro de várias formas. E com isso, de bem com a vida, e sem cobranças posso afirmar que é tão simples ser feliz! Um grande abraço e que Deus te abençõe.

Francisco Elui disse...

Sou obrigado escrever, o que nunca coloquei no papel.:

Inútil sempre fui, também desintegrado.
Olha ligia, se eu acreditar.??
Uma escrita inútil pra você.
Rsrs.
Um beijo também.